Dia 91 — Ameaça Comunista

1/ Canal oficial do Planalto divulgou vídeo defendendo a ditadura. O vídeo foi distribuído pelo perfil do Palácio do Planalto no WhatsApp e compartilhado no Twitter por Eduardo Bolsonaro. Não se sabe a autoria do material, mas o general Mourão afirmou que se tratava de decisão do próprio presidente. O vídeo defende a tese que o golpe evitou uma suposta ameaça comunista, mas não esclarece por que os militares decidiram então ficar no poder por mais de 20 anos. (Correio / Veja)

2/ Em viagem à Israel, Bolsonaro recuou sobre a mudança da embaixada brasileira para Jerusalém. A transferência é uma demanda da bancada evangélica, que acredita que o retorno dos judeus à cidade sagrada é um requisito para o retorno de Cristo. Porém, a mudança irritaria países com que o Brasil mantém relações diplomáticas e econômicas, como o Irã. Atualmente, apenas os Estados Unidos e a Guatemala mantém embaixadas em Jerusalém. As demais ficam em Tel Aviv, no entendimento que Jerusalém também é sagrada para cristãos e islâmicos, e é reivindicada como capital pelos palestinos. (BBC)

3/ Bolsonaro deve indicar dois ministros para o TSE, onde responde a oito processos. Os mandatos de Admar Gonzaga e Tarcísio Vieira terminam nos próximos dias. Seus substitutos irão julgar os processos contra a chapa de Bolsonaro, que envolvem o disparo em massa de mensagens contra o PT no Whatsapp, ataques cibernéticos ao grupo Mulheres Unidas Contra Bolsonaro, e o uso de outdoors irregulares com o nome de Bolsonaro. O ministro Admar, que deve tentar a recondução ao cargo e responde a uma denúncia de violência doméstica contra sua ex-mulher, advogou a favor de Carlos Bolsonaro na sua primeira candidatura a vereador. (Estadão)

Redação