Dia 7 — Situações Anormais

1/ A presidente do Ibama, Suely Araújo, pediu exoneração do cargo após declarações de Bolsonaro e do Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, questionando um contrato de R$ 28,7 milhões para aluguel de veículos especializados em todo o país. “Estamos em ritmo acelerado, desmontando rapidamente montanhas de irregularidades e situações anormais que estão sendo e serão COMPROVADAS e EXPOSTAS”, disse o presidente em mensagem no Twitter, posteriormente apagada. “A acusação sem fundamento evidencia completo desconhecimento da magnitude do Ibama e das suas funções”, rebateu Suely em nota oficial. O cargo deverá ser assumido por Eduardo Bim, procurador da Advocacia-Geral da União que já atua junto ao instituto. (Veja / R7 / EBC)

2/ Criticando a imprensa, Bolsonaro anunciou que acabará com “privilégios” na distribuição das verbas publicitárias do governo. “Queremos que vocês sejam cada vez mais fortes e isentos e não sejam, como alguns foram no passado, infelizmente parciais”, disse o presidente. (UOL / Folha)

3/ Durante a posse dos novos presidentes de bancos estatais, Bolsonaro afirmou que os atos de governos passados envolvendo os bancos serão investigados, mas negou perseguição política: “Ninguém vai persegui-los, mas esses atos, ações e contratos tornar-se-ão públicos”. Sobre o desencontro de informações entre Bolsonaro e Paulo Guedes, o presidente deferiu ao ministro: “Ele entende muito, muito mais de economia do que eu”. (R7 / El País)

pesquisa/ 60% dos brasileiros são contra privatizações. 57% não apoiam redução nas leis trabalhistas. 71% acreditam que assuntos políticos devem ser discutidos na escola, e 54% são a favor da educação sexual. (G1 / Folha)

Redação