Dia 56 — Esquema

1/ Conversas gravadas revelam que o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro, sabia da lavagem de dinheiro no PSL ainda em setembro do ano passado. Cleuzenir Barbosa, também do PSL, recebeu 60 mil reais em verbas eleitorais públicas, mas foi pressionada por assessores de Álvaro a entregar metade do dinheiro. Cleuzenir se recusou e procurou Marcelo Álvaro para conversar, mas foi ignorada. Marcelo Álvaro era o presidente do PSL em Minas Gerais, onde quatro candidatas laranjas receberam 279 milhões de reais em verbas públicas. As denúncias foram parcialmente responsáveis pela demissão de Gustavo Bebianno, que autorizou a transferência dos fundos eleitorais do PSL. Marcelo Álvaro continua no cargo. (Folha / BuzzFeed)

2/ Bancada governista quer impedir mudanças em benefícios para idosos e pessoas com deficiência. Hoje, essas pessoas em condição de miserabilidade têm direito a um salário mínimo. De acordo com a reforma da Previdência proposta pelo governo, idosos entre 60 e 69 anos receberiam apenas 400 reais para seu sustento, A partir dos 70 anos, o valor voltaria a ser o do salário mínimo, hoje em 998 reais. No caso dos deficientes, só receberiam o benefício aqueles que além de não terem renda mensal comprovem ainda um patrimônio familiar inferior a 98 mil reais. (R7 / Veja)

Redação