Dia 44 — "Mentiroso"

1/ Carlos Bolsonaro acusou o ministro Gustavo Bebianno de mentir sobre ter conversado com o presidente. Bebianno, ex-presidente do PSL e atual ministro da Secretaria-Geral da Presidência, está envolvido no escândalo de desvio de fundos eleitorais públicos por meio de candidaturas de fachada. Ao negar que existe qualquer crise, Bebianno afirmou ao Globo que teria inclusive conversado com Bolsonaro. O filho do presidente, Carlos, foi ao Twitter dizer que a conversa jamais aconteceu, e publicou áudio em que o presidente afirmava que não iria falar com ninguém. (Estadão / O Globo)

2/ Gráfica que teria prestado serviços a candidatos do PSL não existe. No endereço onde está registrada a gráfica Itapissu, que recebeu mais de 400 mil reais dos fundos eleitorais, havia apenas duas mesas, sem nenhum maquinário capaz de realizar serviços gráficos de grande porte. A suspeita é que o dinheiro público foi desviado pelo partido. Estão implicados no escândalo o presidente do PSL na época, o ministro Gustavo Bebianno, e o atual presidente do partido, o deputado federal Luciano Bivar. Em entrevista à Folha de S. Paulo na semana passada, Bivar havia dito que “se não tiver máquina, você pode escrever que eu sou um mentiroso”. (Folha / Veja)

3/ O STF começou a julgar processos sobre a criminalização da homofobia e transfobia. Em pronunciamento contrário à criminalização, o advogado da Frente Parlamentar da Família, Cícero Lage, disse que “Os LGBTs convivem harmonicamente na sociedade, tocando bumbo, ofendendo a todos, especialmente a Jesus Cristo, e nem por isso são atacados. Eles se manifestam da forma que querem e não são hostilizados”. Ele também ironizou a existência de preconceito e crimes raciais no país. O julgamento deve prosseguir na quinta-feira. (O Globo / El País)

Redação