Dia 30 — Dificuldades Operacionais

1/ Lula não pôde acompanhar o velório de seu irmão, vítima de câncer. Embora a Lei de Execuções Penais determine que condenados podem deixar a prisão por falecimento de parentes, a Polícia Federal e a justiça negaram repetidamente o pedido, alegando dificuldades operacionais. Dias Toffoli, o atual presidente do STF, só autorizou a saída no começo da tarde de hoje, com o sepultamento já em progresso. Lula optou por permanecer no cárcere. Preso durante a ditadura, Lula na época foi liberado para acompanhar o enterro da sua mãe. (Veja / El País)

2/ Flávio Bolsonaro disse que é “vítima de perseguição”, em referência às investigações sobre a movimentação de milhões de reais em um suposto esquema de corrupção em seu gabinete de vereador no Rio de Janeiro. Flávio também está sendo acusado de ter ligações com milícias, depois de ter sido revelado que ele empregava a mãe e a esposa de um dos líderes do grupo que matou Marielle Franco. O filho do presidente ainda afirmou que o caso Queiroz, que envolve transferências de dinheiro para a primeira dama e a compra de imóveis para toda a família Bolsonaro, “não tem nada a ver com o governo”. (Veja / G1 / Folha)

3/ Depois de uma visita surpresa do general Santos Cruz à sua sede, a Empresa Brasil de Comunicação anunciou que não irá mais exibir o programa Sem Censura. A mudança faz parte de uma reformulação que inclui mudanças drásticas na grade de programação e o fim de 45 cargos comissionados. Cerca de 150 funcionários foram transferidos para o ministério da Economia, inclusive a própria apresentadora do programa de entrevistas, Vera Barroso. (Folha / O Globo / Correio)

Redação